slidein_youtube_04_ok2.png

Verificado e controlado

Selo de qualidade e certificados independentes confirmam a qualidade controlada

No ALDI, a qualidade tem diversas dimensões. Todos os nossos produtos alimentares e todos os artigos da oferta semanal são analisados com regularidade por entidades independentes de verificação relativamente a aspetos de qualidade, tais como a segurança do produto, ingredientes, sabor, transformação, utilização, serviço de apoio ao cliente ou impacto ambiental. Trabalhamos exclusivamente com fornecedores que se encontram certificados de acordo com padrões industriais reconhecidos. Uma parte significativa dos nossos produtos possui o selo de qualidade e o selo de garantia de entidades de verificação independentes.

 

Para os nossos clientes, resumimos da forma que se segue todas as informações importantes sobre selos de qualidade, selos de garantia, certificados e entidades independentes de verificação que pode encontrar no ALDI.

  • asc_ok.jpg ASC (AquacultureStewardshipCouncil)

    ASC (AquacultureStewardshipCouncil)

    O Aquaculture Stewardship Council é uma organização independente, sem fins lucrativos, com influência global, que emite o logo ASC para peixe e frutos do mar produzidos em aquicultura responsável. O Aquaculture Stewardship Council é o resultado de diálogos que ocorreram ao nível mundial sobre a aquicultura em 2009. Estes diálogos foram iniciados pela organização ambiental internacional WWF a fim de se desenvolver normas sustentáveis para explorações piscícolas. Em colaboração com ambientalistas, representantes de governo, piscicultores e outros grupos de interesse, foram definidos detalhadamente, ao longo dos anos, os critérios e normas de controlo para a atribuição dos selos. Estas normas impõem o cumprimento de regras rígidas na área das normas ambientais e sociais, por exemplo, da plena rastreabilidade dos alimentos para animais, da responsabilidade perante os colaboradores da população local, da gestão operacional das águas e dos resíduos, da densidade de carga, bem como dos requisitos referentes à qualidade da água.

  • 06_kachel_eu_bio.jpg Logótipo 'Bio' da União Europeia

    Logótipo "Bio" da União Europeia

    O logótipo "Bio" da União Europeia (UE) distingue produtos alimentares, transformados ou não, produzidos a partir de pelo menos 95% de matérias-primas oriundas de produção biológica controlada, de acordo com os requisitos rígidos da UE. Entre outras restrições, os produtos biológicos não são alterados geneticamente, não contêm aromas ou corantes artificiais e não devem ser submetidos a tratamento com produtos fitofarmacêuticos sintéticos. Os animais devem ser bem tratados, ou seja, devem estar em recintos com espaço suficiente e com compartimentos de refúgio, e são alimentados exclusivamente com alimentos para animais produzidos de forma ecológica e sem adição de antibióticos ou de outros fatores de crescimento. As explorações agrícolas certificadas biologicamente são avaliadas anualmente por avaliadores independentes. Os nossos clientes reconhecem a qualidade biológica controlada através do logótipo "Bio" da União Europeia, por exemplo, nos nossos produtos Gut Bio.

  • blauer_engel.jpg "Blauer Engel" (Anjo Azul)

    "Blauer Engel" (Anjo Azul)

    Desde 1978 que o selo alemão "Blauer Engel" (Anjo Azul) distingue produtos ecológicos. A mais antiga certificação ambiental da Alemanha é atribuída e avaliada pelo Serviço Federal do Ambiente, pelo Ministério Federal do Ambiente, Conservação da Natureza e Segurança Nuclear, pela RAL GmbH, pelo Instituto Alemão para a Garantia de Qualidade e Certificação e pelo júri da certificação. Os critérios para atribuição da certificação incluem, entre outros, o potencial de reciclagem e desempenho ambiental, durabilidade e aspetos de proteção de saúde e segurança. Os dispositivos eletrónicos economizadores de energia também são, desde há pouco, distinguidos com o selo "Blauer Engel".

  • 01_kachel_bsci.jpg BSCI

    BSCI

    Desde o início de 2008 que o ALDI é membro da Business Social Compliance Initiative (BSCI), uma iniciativa europeia intersectorial voluntária de retalhistas e produtores independentes. O ALDI e os seus fornecedores assumiram o compromisso de apoiar o desenvolvimento de estruturas através das quais será controlado o cumprimento das normas vinculativas em matéria social e ambiental, por exemplo, na produção têxtil na Ásia. Os produtores e fabricantes que não respeitem o código de conduta da BSCI serão excluídos da BSCI e deixarão de ser fornecedores do ALDI.

  • 02_kachel_bureau_veritas.jpg Bureau Veritas

    Bureau Veritas

    O Bureau Veritas é uma entidade de inspeção, classificação e certificação que opera no plano mundial, fundada em 1828, em Antuérpia. Mais de 58 mil colaboradores e especialistas de 140 países investigam, entre outros elementos, instalações e produtos técnicos em relação à qualidade, segurança e padrões ambientais, bem como em matéria de responsabilidade social. A certificação de produtos pelo Bureau Veritas em relação aos bens de consumo indica ao consumidor final que o Bureau Veritas realizou análises ao produto e que o certificou na qualidade de entidade de verificação reconhecida e independente.

  • 03_kachel_ce.jpg Marcação CE

    Marcação CE

    A marcação CE com o símbolo CE informa o consumidor que o produto cumpre os requisitos de segurança na União Europeia: antes de um produto ser colocado no mercado e de ser utilizado, deve cumprir as respetivas diretivas da União Europeia. Esta marcação é especialmente aplicável a produtos eletrónicos e a brinquedos.

  • gcp.jpg Global Coffee Platform (GCP)

    Global Coffee Platform (GCP)

    A Global Coffee Platform (anteriormente 4C Association) é uma iniciativa "multi stakeholder" que junta intervenientes importantes do setor do café. Produtores de café, cooperativas, exportadores, comerciantes de café verde, importadores, torrefatores, grossistas e retalhistas trabalham, em conjunto, por melhores condições económicas, sociais e ambientais na produção e processamento do café. Em foco estão, nomeadamente, pequenos produtores, as suas famílias e trabalhadores. O objetivo da GCP é a melhoria quer das condições de vida e das perspetivas de futuro das pessoas envolvidas no cultivo do café, quer dos sistemas ecológicos.


    O mesmo é alcançado, por exemplo, através da aplicação do Baseline Common Code (Código Comum Básico) da GCP que apoia, mediante os seus critérios e abordagens práticas, a implementação de sustentabilidade na produção e processamento de café. O código apoia estratégias nacionais de sustentabilidade e pode ser aplicado pelos intervenientes na cadeia de valor acrescentado de café.


    O Baseline Common Code consiste em 27 princípios e dez "práticas inaceitáveis" para um cultivo de café sustentável. Os mesmos baseiam-se nas normas principais da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e nas convenções de direitos humanos das Nações Unidas. Práticas inaceitáveis são:


    1. Formas mais graves de trabalho infantil.
    2. Trabalho forçado e tráfico de seres humanos.
    3. Proibição da liberdade de associação e do direito de associação.
    4. Expropriação forçada.
    5. Falta de acesso a habitações adequadas para os trabalhadores.
    6. Falta de acesso a água potável para os trabalhadores.
    7. Desflorestação de floresta primária e destruição de outros recursos naturais que oficialmente devem ser protegidos.
    8. Utilização de determinados pesticidas proibidos.
    9. Utilização de organismos geneticamente modificados.
    10. Práticas comerciais abusivas, como, por exemplo, corrupção.

    O chamado Código de Conduta 4C (4C Code of Conduct) orienta-se pelos critérios do Baseline Common Code da GCP. Produtores de café que cumprem o código podem ser alvo de uma verificação por uma entidade de controlo independente e podem comercializar o seu café como café 4C. As verificações independentes são realizadas pela Coffee Assurance Services GmbH.



    Desde 2009 o grupo empresarial ALDI Nord é membro da GCP (anteriormente 4C Association) e compra café verde de produtores que cultivam o seu café de acordo com o Código de Conduta 4C. Desta forma, o ALDI Nord apoia, em conjunto com a GCP, um desenvolvimento sustentável no setor do café.



    Mais informações sobre o desempenho de sustentabilidade do ALDI Nord no setor do café e sobre a nossa Política Internacional de Compra de café encontra aqui.

  • dop.jpg Denominação de Origem Protegida (DOP)

    Denominação de Origem Protegida (DOP)

    A Denominação de Origem Protegida (DOP) identifica um produto originário de um local ou região determinados, ou, em casos excecionais, de um país, e cuja qualidade ou características se devem essencial ou exclusivamente a um meio geográfico específico, incluindo os seus fatores naturais e humanos.

  • 05_kachel_dolphin_safe.jpg Dolphin Safe

    Dolphin Safe

    Com a fundação do Earth Island Institute (EII) nos Estados Unidos, passou a existir o rótulo "dolphin-safe" (golfinho seguro) ao nível mundial para o atum pescado de forma sustentável. Apenas é certificada a pesca que durante a captura não coloque em perigo qualquer golfinho e que adira ao International Monitoring Program. Toda a cadeia de abastecimento, desde a embarcação de captura, passando pelo processamento, até à venda do atum, é verificada de forma abrangente e com regularidade por colaboradores do EII. O International Monitoring Program inclui a proibição de capturar atum com redes de emalhar de deriva ou lanços, e exige que sejam tomadas medidas de precaução para a proteção dos golfinhos. A associação para o salvamento dos golfinhos verifica, na Alemanha, a observância dos regulamentos e publica anualmente uma lista positiva de fabricantes.

  • etg.jpg Especialidades Tradicionais Garantidas (ETG)

    Especialidades Tradicionais Garantidas (ETG)

    Podem ser registadas como Especialidades Tradicionais Garantidas (ETG) as denominações que descrevam um determinado produto ou género alimentício que resulte de um modo de produção, transformação ou composição que correspondam a uma prática tradicional para esse produto ou género alimentício, ou que seja produzido a partir de matérias-primas ou ingredientes utilizados tradicionalmente.

  • kachel_fairtrade.png Fairtrade®

    Fairtrade

    Os produtos com o selo Fairtrade são provenientes do Comércio Justo. O objetivo é financiar pequenos produtores e trabalhadores de países em desenvolvimento em África, na Ásia e América Latina, a fim de melhorar a sua posição no mercado mundial de forma sustentável. Na atribuição do selo devem ser respeitadas as normas de Fairtrade internacionais que incidam sobre aspetos de ampla dimensão, ao nível social, económico e ecológico, como o pagamento de preços mínimos Fairtrade e do prémio Fairtrade, a proibição de trabalho infantil e o cumprimento de critérios ambientais (incluindo a proibição de pesticidas ou de sementes geneticamente modificadas). O prémio Fairtrade garante que projetos comunitários são implementados, nomeadamente a construção de poços, escolas ou hospitais, ou investimentos em infraestruturas locais.

  • kachel_fsc.jpg Forest Stewardship Council® (FSC®)

    Forest Stewardship Council® (FSC®)

    O símbolo FSC identifica madeira e produtos de madeira provenientes de uma produção florestal responsável segundo normas globais ambientais e sociais. A certificação consiste em dez critérios de sustentabilidade que devem ser cumpridos, dentre os quais: a cadeia de produção da madeira tem de ser plenamente provada, a madeira não é proveniente de florestas que devem ser protegidas ou de zonas protegidas, os direitos dos povos indígenas são preservados e o equilíbrio ecológico da zona florestal deve ser garantido a longo prazo. O FSC foi fundado como ONG independente, sem fins lucrativos, no seguimento da conferência sobre o meio ambiente, no Rio de Janeiro, em 1993. Hoje existem certificados FSC em mais de 80 países e o FSC está representado em mais de 40 países com organizações próprias. As certificações só podem ser emitidas por organizações acreditadas pelo FSC International.

  • kachel_global_gap.jpg GlobalG.A.P.-Standard

    GlobalG.A.P.-Standard

    GLOBALG.A.P. é uma organização privada que desenvolveu mundialmente normas voluntárias para a certificação de produtos agrícolas (p. ex. fruta e legumes, alimento para animais, produção animal, plantas e sementes, aquicultura). Os principais objetivos dos controlos são a segurança alimentar, a proteção dos animais, a gestão ambiental e de resíduos, a segurança e saúde no local de trabalho, bem como os interesses dos trabalhadores. Esta certificação garante que todas as fases de produção são plenamente rastreáveis e integralmente controladas.

  • 09_kachel_gots.jpg Global Organic Textile Standard (GOTS)

    Global Organic Textile Standard (GOTS)

    A norma GOTS de aplicação mundial foi desenvolvida a partir de quatro organismos de regulação líderes à escala mundial: a Internationaler Verband der Naturtextilwirtschaft (IVN), a Soil Association (SA), a Organic Trade Association (OTA) e a Japan Organic Cotton Association (JOCA). Duas variantes do rótulo GOTS garantem que pelo menos 70% das fibras são de algodão biológico. Ademais, também a transformação posterior e a utilização dos tecidos são determinadas pelo selo de qualidade GOTS de modo a garantir uma produção amiga do ambiente e a poder reduzir ao mínimo a existência de poluentes no produto final. Para tal, ao longo da cadeia de produção é verificada a observância das normas sociais mínimas. A certificação de conformidade GOTS é efetuada por entidades de verificação acreditadas e independentes.

  • 07_kachel_gs.jpg GS

    Segurança Certificada (GS)

    Apenas são distinguidos pela marcação "Geprüfte Sicherheit" (GS, Segurança Certificada) os produtos que estão em conformidade com os requisitos europeus de segurança dos produtos e que foram testados em relação a todos os aspetos quanto à segurança dos produtos e à segurança dos consumidores por entidades independentes de verificação, como, por exemplo, a TÜV (entidade alemã de certificação de controlo técnico) ou a Bureau Veritas. A homologação GS é um selo de qualidade voluntário dos fabricantes e inclui outros controlos de segurança mais detalhados, como os controlos aos produtos previstos na lei. A marcação de segurança GS será atribuída a produtos prontos a utilizar, como máquinas, aparelhos elétricos e domésticos, ferramentas e também brinquedos.

  • igp.jpg Indicação Geográfica Protegida (IGP)

    Indicação Geográfica Protegida (IGP)

    A Indicação Geográfica Protegida (IGP) identifica um produto originário de um local ou região determinados, ou de um país, e que possua determinada qualidade, reputação ou outras características que possam ser essencialmente atribuídas à sua origem geográfica.

  • 10_kachel_sustainable_cleaning.jpg Iniciativa Lavagem e Limpeza Sustentáveis

    Iniciativa Lavagem e Limpeza Sustentáveis

    A Iniciativa Lavagem e Limpeza Sustentáveis é uma iniciativa voluntária à escala europeia da indústria de produtos de limpeza e detergentes. Desde 2005 que existe uma "Carta para a Limpeza Sustentável" ("Charter for Sustainable Cleaning"). Ao participar da Carta, as empresas comprometem-se a adotar uma conduta sustentável: para a produção de produtos de limpeza e detergentes são tidos em consideração aspetos ecológicos, económicos e sociais como, por exemplo, a segurança dos consumidores, a proteção do ambiente e as inovações. As informações existentes nas embalagens dos produtos garantem ao consumidor uma utilização mais segura e respeitadora do ambiente. Quaisquer dúvidas poderão ser esclarecidas através da linha de apoio ao consumidor.

  • msc.jpg Marine Stewardship Council (MSC)

    Marine Stewardship Council (MSC)

    No ano de 1997, foi fundado o Marine Stewardship Council (MSC) com o intuito de contrariar a redução dos recursos marinhos no plano mundial. Os produtos da pesca com o selo azul MSC indicam ao consumidor que as matérias-primas foram capturadas e transformadas de acordo com critérios sustentáveis: as unidades populacionais de peixes são mantidas a um nível suficiente, a sobrepesca é evitada e é dado tempo de recuperação às espécies em perigo. Em simultâneo, a certificação garante que as normas de sustentabilidade são implementadas de acordo com os critérios legais e ecológicos. Pode encontrar aqui mais informações sobre a certificação da nossa oferta de peixe e marisco.

  • 12_kachel_oeko_tex.jpg Oeko-Tex® Standard 100

    Oeko-Tex® Standard 100

    O Oeko-Tex® Standard 100 é um sistema de verificação e certificação independente para os produtos têxteis que indica ao consumidor a salubridade do produto. Os têxteis são analisados em exames laboratoriais de entidades independentes no que concerne a poluentes potencialmente perigosos, como, por exemplo, pesticidas ou metais pesados. Um artigo recebe a certificação Oeko-Tex® 100 de "Confiança nos Têxteis" apenas quando todos os componentes do produto, incluindo acessórios como fechos e botões, estão em conformidade com todos os critérios Oeko-Tex® exigidos, sem qualquer exceção.

  • rainforest_alliance.jpg Rainforest Alliance

    Rainforest Alliance

    Rainforest Alliance foi fundada em 1987 na luta contra a progressiva destruição das florestas tropicais. O selo Rainforest Alliance CertifiedTM com a rã verde identifica produtos tais como café, cacau, chá, bananas ou citrinos, provenientes de um cultivo sustentável. Os agricultores e associações de produtores devem para isso cumprir com os rigorosos critérios das normas SAN (Sustainable Agriculture Network) para a agricultura sustentável. Os mesmos abrangem a proteção ambiental e critérios sociais e económicos. Melhores condições de trabalho para trabalhadores, o acesso à educação, a proteção dos recursos naturais, dos ecossistemas sensíveis e a vida dos animais selvagens são igualmente considerados, tal como a rastreabilidade das matérias-primas.

  • 13_kachel_tuev_sued.jpg Technische Überwachungs- Vereine (TÜV)

    Technische Überwachungs-Vereine (TÜV)

    A Technische Überwachungs-Vereine (TÜV) analisa, em nome dos fabricantes, produtos técnicos no que respeita à sua possibilidade de comercialização e segurança, bem como verificando se todos os requisitos legais se encontram cumpridos. As associações TÜV mais conhecidas na Alemanha são a TÜV Sud, TÜV Nord e a TÜV Rheinland. A homologação da correspondente associação TÜV deve ser efetuada apenas em produtos que tenham sido aprovados na análise conduzida pela associação TÜV em questão.

  • 14_kachel_tuev_nord.jpg Technische Überwachungs- Vereine (TÜV)

    Technische Überwachungs-Vereine (TÜV)

    A Technische Überwachungs-Vereine (TÜV) analisa, em nome dos fabricantes, produtos técnicos no que respeita à sua possibilidade de comercialização e segurança, bem como verificando se todos os requisitos legais se encontram cumpridos. As associações TÜV mais conhecidas na Alemanha são a TÜV Sud, TÜV Nord e a TÜV Rheinland. A homologação da correspondente associação TÜV deve ser efetuada apenas em produtos que tenham sido aprovados na análise conduzida pela associação TÜV em questão.

  • 15_kachel_tuev_rheinland.jpg Technische Überwachungs- Vereine (TÜV)

    Technische Überwachungs-Vereine (TÜV)

    A Technische Überwachungs-Vereine (TÜV) analisa, em nome dos fabricantes, produtos técnicos no que respeita à sua possibilidade de comercialização e segurança, bem como verificando se todos os requisitos legais se encontram cumpridos. As associações TÜV mais conhecidas na Alemanha são a TÜV Sud, TÜV Nord e a TÜV Rheinland. A homologação da correspondente associação TÜV deve ser efetuada apenas em produtos que tenham sido aprovados na análise conduzida pela associação TÜV em questão.

  • utz_new.jpg UTZ

    UTZ

    A certificação 2 ("UTZ" significa "bom" em língua maia) foi criada nos Países Baixos em 2002. O seu objetivo é apoiar de uma forma sustentável os agricultores na América do Sul e em África, a fim de poderem oferecer às suas famílias melhores perspetivas de futuro. Mediante vários programas de formação, os agricultores assistem a aulas teóricas e recebem apoio prático na implementação de boas práticas de cultivo e de gestão. Além disso, são promovidas medidas ecológicas na plantação e colheita, para conservar os recursos naturais no país produtor. Estas diversas medidas aumentam tanto a qualidade da matéria-prima como a eficácia do cultivo e, por conseguinte, o lucro financeiro dos agricultores.